Tarte de maçã escangalhada

Comecei a fazer esta tarte há uns anos, quando descobri uma receita num livro de receitas de pastelaria francesa, em casa de uma amiga minha. O nome que lhe davam era Galette e, vim a descobrir mais tarde, que era o nome que se dava, entre outras coisas, a estas tartes cuja massa não cobria na totalidade o seu recheio.
A massa original é difícil de manusear depois de cozida porque tem tendência a partir-se. Ensino aqui um truque, que funciona muito bem.
Esta receita não deve levar maçãs muito farinhentas ou moles como a reineta porque senão a maçã desfaz-se. Eu uso Royal Gala porque acho que têm a consistência ideal.
Para a massa :

300g de farinha 
2 colheres de sopa de açúcar em pó
150g de manteiga
70g de água
1 pitada de sal

Colocar a farinha, o sal e o açúcar numa taça. Juntar a manteiga e amassar. No final juntar a água e amassar novamente. Fazer uma bola com a massa, espalmá-la, envolver em película e levar ao frio enquanto faz o recheio.

Para o recheio:

6 maçãs médias ( cerca de 800/900g )
80 g de açúcar
4 colheres de sopa de manteiga

Descascar as maçãs e cortar em 8. Cobri-las com açúcar, mexer e reservar. Derreter a manteiga numa sertã. Quando estiver quente, deitar a maçã e deixar caramelizar um pouco sem se desfazer. Mexer o mínimo possível. Deixar arrefecer.
Entretanto, aquecer o forno a 200º
Estender a massa, deixando-a um bocadinho espessa. Não precisa de ficar muito direitinha. Untar a base de uma tarteira e colocar a massa por cima. Deitar as maçãs e virar as extremidades da massa, de forma a cobrir apenas cerca de 5cm do recheio. A massa não deve cobrir completamente a base da tarteira, para que se consiga agarrar e soltar.

Levar ao forno cerca de 25mn ou até estar dourada. Quando se tira do forno, mete-se uma espátula fina entre a massa e a base de forma a soltá-la. Transporta-se a tarte para um prato de servir e, com a ajuda da espátula, retirar a base metálica. 
Servir ainda quente, com uma bola de gelado de baunilha, para o prazer ser ainda maior.





16 comentários:

  1. em vez de fazer a massa pode-se comprar já feita? qual quebrada?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sinceramente, não gosto muito dessas massas nesta receita. Têm um sabor que não tem nada a ver com esta, que é muito amanteigada. E fica fina demais.

      Eliminar
  2. Deve ser tão boa Luísa, adoro tartes que levem maçã, adorei, bjs

    ResponderEliminar
  3. Gosto muito de galettes mas confesso que nunca cozinhei nenhuma. Ai ai, tanta coisa para experimentar e tão pouco tempo livre :(
    Achas que as granny smith ficam bem? São duras e ácidas. Juntamente com umas amoras deve ficar divinal. Ah, e com iogurte grego, para ser um pouquinho mais light do que o gelado :D

    ResponderEliminar
  4. Ondina, só de imaginar Granny Smith até me arrepia. E com amoras, ainda mais...
    Uma das filhas filhas só gosta dessas maçãs. A outra de Bravo de Esmolfe. O oposto!

    ResponderEliminar
  5. Coisas deliciosas....vou aproveitar...obrigada.
    http://hartinart.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De nada. Experimente que vai gostar, de certeza

      Eliminar
  6. Tem mesmo muito bom aspecto tenho de exprimentar a fazer.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Adoro massas casseiras! Não há nada que uma tarte com um abela massa amassada pelas nossas mãos.
    Essa está um espetaculo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também concordo. E, hoje em dia, com os robots de cozinha, até isso se tornou mais fácil :)

      Eliminar
  8. Adoro este tipo de tartes e com a Bimby esta massa fica maravilhosa, gostei muito Luisa. Desejos de uma excelente semana. Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Zelinha. Também misturei a massa num robot de cozinha. Poupa imenso tempo

      Eliminar
  9. Gosto imenso de tudo o que leve maçã... e tartes com massas caseiras são sem dúvida as melhoras!
    Estou encantada :)

    ResponderEliminar