Folhado de doce de ovos




Começar por fazer o doce de ovos:

15 gemas ( ou 250g, no caso de usar gemas pasteurizadas )
250g de açúcar
125g de água

Passar as gemas por um coador, para retirar eventuais pedaços de casca e membranas.
Num tacho levar ao lume o açúcar com a água e, sem mexer, deixar ferver até atingir o ponto de pérola ( quando escorre de uma colher de pau, forma-se um fio com uma bolinha na ponta). 



Retirar do lume e deitar a calda, ainda quente, em cima das gemas, mexendo bem. Voltar a levar a lume brando e mexer sempre em zig zag, ate engrossar. Retirar e deixar arrefecer.

Bolo Azul e Rosa

Há uns tempos atrás encontrei um vídeo na net, onde a muito inspiradora Martha Stewart ensinava a fazer um bolo facílimo, sem necessidade de fogão e que ficava lindíssimo.
Podem ver o vídeo aqui.
Resolvi reproduzi-lo e garanto que, além de tudo, fica delicioso. Muito melhor se o deixarem de um dia para o outro no frigorífico.

 A receita que aqui coloco é a da própria Martha Stewart:

Bolo de chocolate


Bolo de chocolate

Ingredientes:
6 ovos
1 chávena ( de chá ) de leite
1/2 chávena ( de chá ) de óleo
2 chávenas ( de chá ) de farinha com fermento
2 chávenas ( de chá ) de açúcar
1 pacote de chocolate em pó

Aquecer o forno a 180º
Separar as gemas das claras e bater estas em castelo. Reservar.
Bater todos os outros ingredientes juntos. Envolver as claras em castelo.
Deitar o preparado numa forma untada e com o fundo forrado com papel vegetal
Levar ao forno até estar bem cozido ( fazer o teste do palito )
Desenformar e, depois de frio, decorar a gosto.

Para o bolo de Kit Kat e Smarties, barro o bolo com uma receita de ganache. Decorar os laterais com Kit Kat ( cerca de 10 embalagens ) e cobrir com Smarties ( 10 embalagens )



Compota de pimento

Pela segunda vez, fui hoje ao Programa A Praça, na RTP1.
Desta vez, levei duas receitas: Compota de pimento, que aprendi com o fantástico chef Luis Francisco da Escola Segredos d' Avó e umas tostinhas deliciosas, feitas com pão de forma.




Receita:
  • 500g de pimento cortado aos quadrados, limpos de sementes
  • 400g de açúcar

Levar os ingredientes ao lume e, a partir do momento em que começa a ferver, contar cerca de 20 minutos, fervendo sempre em lume médio. Passar pela varinha mágica e repartir por frascos de compota previamente esterilizados (fervidos durante 20 minutos). Mal encha os frascos, ainda mornos, com a compota, feche e vire a tampa para baixo. Deixe arrefecer nesta posição, para que ganhe vácuo e se conserve mais tempo.

Esta compota acompanha lindamente com queijos( creme, chevre, Serra, etc)




Tostinhas especiais (para cerca de 20 tostas)
  • 5 fatias de pão de forma sem côdea
  • 4 colheres de sopa de manteiga
  • Aquecer o forno a 180º

Derreter a manteiga e reservar. Com um rolo da massa esticar as fatias de pão de forma até ficarem muito finas. Cortar em rodelas, pincelar com a manteiga e levar ao forno, num tabuleiro até estarem douradas. Servir com a compota e queijos.

Podem ver o video carregando aqui.


Bolo de bolacha e café

Desde os 5 anos que vivi com a minha avó materna. Maria Luisa, para a família do meu avô, ou Gita, para os seus irmãos e sobrinhos.
Para mim, em criança, era a "avó tia". Porque vivia connosco a minha prima Raquel, que a tratava por tia.
Já falei muitas vezes da minha avó e do quanto lhe devo, pelo amor que me deu. E por me incutir o gosto pela cozinha, por costurar, por bordar, artes estas que abandonei, com excepção da culinária. Daquilo que vejo dos meus trabalhos manuais, penso que optei pela actividade que melhor se adequa a mim.

Uma das recordações que guardo de infância, é a de ir à mercearia do Sr. Bernardo, que ainda existe, comprar bolachas Petit Beurre, que vinham em embalagens de papel pardo. Hoje em dia, já não vende Petit Beurre, nem usa pacotes de papel. Mas, continua de portas abertas, mesmo acima de minha casa.
Com essas bolachas amanteigadas, como o nome em francês sugere, fazia o bolo de bolacha e café. Nada de bolacha Maria, leite condensado ou outras variações, que tenho visto em muitas receitas. Só aquelas bolachas rectangulares, manteiga, açúcar, café e ovo.
Acho que foi das primeiras sobremesas que aprendi a fazer e ainda lucrei com isso, aquando criança, já que o meu tio Vasco me dava 20$00 por cada bolo que lhe fizesse. O meu destino estava, desde então, traçado. 
Este bolo recorda infância, sabe a festas de família, a momentos mágicos. Trago-vos aqui a minha receita, para que possam viajar no tempo.

Rolo de salmão com espinafres

Aprendi a fazer esta receita num livro que eu considero a minha Bíblia dos aperitivos. Vejo-o imensas vezes à venda em feiras de livros, a preços muito acessíveis. Chama-se Canapés e todas as receitas que experimentei ficaram óptimas, Se conseguirem encontrar, não hesitem em comprá-lo.
Adaptei a receita de rolo de espinafres com truta fumada e é uma das coisas que mais vezes faço com entrada empratada ou, dividindo a meio, como finger food.

Bolo sorvete

Aqui está um bolo lindo, que se destaca pela decoração feita com merengue. Eu usei corante alimentar, à venda em supermercados, para fazer as riscas cor-de-rosa, que dão um aspecto de Cornetto a este bolo.
A ideia de fazer merengues coloridos, veio de um livro que comprei em Itália, das Meringue Girls, que fazem coisas absolutamente maravilhosas. Elas usam corantes naturais e explicam, em vídeos, como podem usar a técnica de colorir o suspiro, num video, que podem ver aqui: http://www.meringuegirls.co.uk/video

A base do bolo é à vossa escolha, e a cor também. Divirtam-se a fazer este Bolo Sorvete.