Hummingbird Cake

Em Londres, há umas confeitarias chamadas Hummingbird, que são uma maravilha. Os bolos de lá são lindos e deliciosos.
No ano passado, uma amiga ofereceu-me o livro, que se chama Confeitaria Humingbird, Receitas de Sonho e decidi experimentar algumas receitas. Garanto que funcionam mesmo e são óptimas. De todas, a que mais gostei foi a do bolo com o nome da loja e que é divino. Deixo aqui a receita, com algumas alteraçõezinhas, para ficar mais ao meus gosto.
Mas, aconselho a terem este livro na vossa biblioteca porque vale mesmo a pena.
Ingredientes:

280g de açúcar
3 ovos
3 dl de óleo
270g de bananas esmagadas
1 colher de chá de canela em pó
300g de farinha com fermento
100g de ananás em calda, cortado aos bocadinhos
100g de nozes pecan ( também já usei as normais)

Aquecer o forno a 180º

Bater bem o açúcar, os ovos , o óleo, as bananas e a canela. Juntar a farinha e bater novamente. Adicionar as nozes e o ananás e envolver com uma colher.
Dividir a massa em 2 formas iguais, untadas e com o fundo forrado com papel vegetal. Levar ao forno até estarem completamente cozidos.
Deixar arrefecê-los cerca de 5 minutos dentro da forma antes de desenformar.
Quando estiverem frios, colocar um bolo num prato, cobrir com creme de queijo e colocar o segundo bolo, com a paste mais lisa virada para cima. Cobrir todo o bolo com o creme e decorar com metades de nozes e nozes picadas. Servir bem fresco.

Cobertura

3 pacotes de natas frescas Longa Vida, bem frias
350g de queijo marcarpone
10 colheres de sopa de açúcar em pó

Bater todos os ingredientes até estar um creme bem firme.

Mousse de maracujá

Esta é das sobremesas mais fáceis que faço e é óptima para o Verão. Aliás, esta mousse lembra-me o Verão, por ser tão fresca. Espero que gostem.
As fotografias, que estão lindas, foram tiradas pelo Ricardo Silva.
Ingredientes:
2 pacotes de natas frescas ( Longa Vida )
1 lata de polpa de maracujá
1/2 lata de leite condensado
4 folhas de gelatina
Polpa de maracujás frescos para decorar q.b.

Começar por demolhar as folhas de gelatina em água fria.
Bater as natas até ficarem quase duras. Juntar o leite condensado e a polpa de maracujá. Derreter as folhas de gelatina, bem escorridas, em lume brando ou alguns segundos no microondas. Juntar de imediato à mousse, com a batedeira em movimento.
Levar ao frio até endurecer e decorar com polpa de maracujá fresco.


Salada de frango com requeijão de azeitonas e companhia

No outro dia, uma amiga minha veio visitar-me e trouxe-me um requeijão com azeitonas. Eu adoro requeijão mas associo sempre a doces: cheesecakes, bolo de requeijão, requeijão com doce de abóbora.
Por isso, a embalagem lá foi ficando no frigorífico à espera de vez na minha ementa.
E, a sorte sorriu-lhe quando me sobraram uns pedaços de frango assado, que não davam para uma refeição completa. E o que resolvi fazer? Uma salada. Já viram que não sou muito virada para saladas mas, começando o tempo a aquecer, lá tem que ser. E esta, garanto-vos que é messssssssssmo boa.
Ingredientes:
Uma alface cortada em juliana grossa
Sobras de frango assado desfiado
1 requeijão com azeitonas
1 punhado de Pinhões
2 fatias de ananás


Saltear os pinhões numa sertã bem quente, até tostarem. Reservar. Fazer o mesmo com o ananás, já partido em triângulos.
Misturar todos os ingredientes e temperar com um molho feito com azeite, sumo de laranja e sal.
Aqui está uma sugestão fácil e muito agradável para estes dias mais quentes.



Bolo de banana caramelizado

Quando estive no Brasil, passei por Paraty, uma cidadezinha que parecia saída de um livro antigo, um cenário de um filme passado no sec. XIX. As casas brancas, eram decoradas com frisos e portadas de cores alegres, como o amarelo, vermelho ou turquesa. O pequeno porto, ancora barquinhos amorosos, que condiziam com o espírito do resto do local.



Como em todos os sítios por onde passei no Brasil, em Paraty comia-se muito bem. Conhecida pela cachaça, não me atrevi, nesse dia, a aventurar-me numa caipirinha, que tanto adoro.
Mas, para mim, que sou a maior gulosa que conheço, houve uma coisa em Paraty que eu adorei e que eram una carrinhos que andavam pelas ruas empedradas, carregados de tabuleiros de bolos caseiros, absolutamente tentadores. Desde então, que não me sai da cabeça que que quem me dera que houvesse aqui uma pastelaria que servisse bolos brasileiros à fatia. Vejam se não é tão apetitoso:
Fiquei com pena de não provar um de cada mas, rendi-me a uma fatia de um divino bolo de banana, que me deu cabo do apetite para o jantar.
Assim, quando cheguei a Portugal, pesquisei receitas de bolo de banana e, reunindo as dicas de umas 4 receitas diferentes, criei este aqui. Garanto, que, se o vendedor de Paraty o vendesse, ía ser um sucesso, de tão bom que fica.
Ingredientes:

6 ou 8 bananas maduras, conforme o tamanho
Para o caramelo:
2 chávenas de açúcar ( 400g )
3/4 chávena de água ( 1,5dl )
Manteiga q.b.

Para a massa:
3 ovos
1 1/2 chávena de açúcar ( 300g )
2 bananas
2 chávenas de farinha com fermento ( 300g )
2 colheres de sopa de manteiga à temperatura ambiente
3/4 chávenas de leite

Comecemos por colocar o açúcar e a água numa caçarola até ficar num caramelo dourado. Deitar num forma com cerca de 24cm, de diâmetro e espalhar, com cuidado para não se queimarem. Assim que arrefecer, untar com manteiga e tapar o fundo com meias bananas, cortadas longitudinalmente e com a parte redonda apoiada no fundo.

Aquecer o forno a 180º

Bater as gemas com o açúcar e a manteiga. Juntar 2 bananas ( grandes ) partidas, directamente no creme e deixar bater até ficar um creme suave e sem pedaços. Juntar a farinha e o leite e, por fim, envolver as claras em castelo.
Deitar o preparado na forma e levar ao forno até estar cozido ( espetar um palito até ao fundo, para ter a certeza ).
Esperar 5 minutos antes de desenformar para um prato de serviço. Servir frio ou quente, acompanhado de uma bola de gelado. 

Tarte de limão merengada

Ora aqui está uma receita de uma sobremesa que, além de ser uma delícia, é lindíssima. 
Durante anos, não gostei de sobremesas com limão . Ainda hoje, dispenso gelados e rebuçados de limão, mas, a primeira vez que provei Lemon curd, adorei. É mesmo bom, cremoso, doce e ácido. Mmmmmmm...
Para fazer esta tarte podem optar por fazer a massa quebrada ( faço muitas vezes no robot de cozinha ) ou podem optar por usar uma massa de compra, que serve lindamente e é muito mais rápido.
O que se deve fazer é cozer a base primeiro e só depois rechear. Devem untar a tarteira com cerca de 24cm de diâmetro, colocar a massa, picar o fundo e cortar as beiras da massa, no rebordo da forma, com as costas de uma faca, pressionando para a massa aderir. Depois é só cobrir a massa com papel vegetal ( se usarem a massa já feita, usem o papel em que vem enrolada ) e encham com feijões secos. Levam ao forno a 200º cerca de 15 minutos e depois retiram o papel e os feijões e levam novamente ao forno até dourar. Retirar e deixar arrefecer.

Entretanto, fazer duas doses de Lemon Curd ( clicar nas palavras atrás para terem acesso á receita ) e esperar que arrefeça totalmente.
Assim que ambos estejam frios, coloca-se a base cozida num prato de servir, enche-se com o Lemon Curd e faz-se o Merengue:

3  claras
150g de açúcar

Batem-se as claras até estarem com bastante espuma e adiciona-se o açúcar, colher a colher. Deixa-se bater muito bem ( cerca de 10 minutos ) até estar um creme brilhante e muito duro.
Enche-se um saco de pasteleiro de bico frisado com o merengue e decora-se toda a superfície da tarte. Tendo, queima-se com um maçarico de cozinha, que é um utensílio que eu adoro e uso imenso. Na falta deste, leva-se ao forno a 160º até dourar.




Se quiserem, podem colocar bolacha picada no fundo de copinhos e encher com Lemon Curd e merengue. Ficam lindos e é uma ideia óptima para um buffet de sobremesas de uma festa.


Natas do Céu

Não sei se esta é a receita original das Natas do céu ou, mesmo,  se ela existe. Pesquisei pela net e juntei 2 ou 3 receitas e o resultado é este que aqui trago.
Para ser franca, acho que nunca tinha comido já que, quando aparece nas ementas dos restaurantes, dou sempre primazia à baba de camelo ou à mousse de chocolate.
Mas, uma cliente encomendou-me e lá tive eu que lançar mãos à obra. E, digo-vos que ainda bem que nunca tinha provado porque, caso contrário, já estaria ainda mais gorda. É que a sobremesa é mesmo boa.
Em relação ao doce de ovos, optei por fazer o doce de ovos aldrabado por ser mais rápido.
Ingredientes para o creme de natas:
2 pacotes de natas bem frias ( de preferência as Longa Vida )
5 claras
8 colheres de sopa de açúcar

1e 1/2 de bolacha Maria

Ingredientes para o creme de ovo:
5 gemas
5 colheres de sopa de açúcar
5 colheres de sopa de água

Começar por triturar a bolacha Maria. Reservar.
Bater as claras em castelo. Assim que estiverem bem batidas, acrescentar o açúcar, colher a colher e deixar bater até ficar um merengue bem duro e brilhante.
Bater as natas e depois de duras, incorporar nas claras.
Numa taça, colocar uma camada de bolacha Maria e depois um de natas. Repetir. Cobrir com o doce de ovos, bem frio.

Para fazer o creme de ovos, misturar todos os ingredientes num tacho e levar a lume brando, mexendo sempre com uma vara de arames até engrossar. Deixar arrefecer completamente antes de cobrir a sobremesa.



Bolo base delicioso

Hoje vou dar aqui a receita do bolo base de muitos dos bolos decorados que faço. A massa é simples mas suficientemente compacta para aguentar com 2 ou 3 camadas e recheios. Também pode ser servido simples ou com qualquer cobertura que gostem ( ganache, merengue, creme de queijo ou de manteiga, etc...).
Esta é daquelas receitas que se deve ter sempre no nosso caderno para fazermos mil vezes durante a nossa vida. Espero que gostem porque eu adoro.
Ingredientes:

200g de açúcar
100g de manteiga
4 ovos
1/2 chávena ( de chá) de leite
200g de farinha com fermento

Aquecer o forno a 180º
Bater o açúcar com a manteiga até ficar um creme esbranquiçado. Adicionar as gemas, depois o leite e a farinha peneirada, envolvendo esta com cuidado.
Adicionar as claras batidas em castelo envolvendo bem.
Deitar em forma untada e levar ao forno até estar cozido.

Deixo-vos aqui 3 ideias: no 1º fiz duas doses e cozi em formas separadas, tal como no 3º bolo, em que fiz 3doses, cozidas em formas diferentes. No bolo do meio, dupliquei a receita e cozi numa forma maior.