Croquetes de vitela e alheira

Há comidas que nos aquecem a alma e os croquetes são uma delas. Quase toda a gente gosta de os petiscar numa festa ou, no dia-a-dia, acompanhados de um bom arroz de ervilhas.
Lembro-me que a minha avó aproveitava as sobras de carne assada ou do cozido para fazer picado. Usava, para esse efeito, uma picadora manual engraçadíssima.
Esta receita de hoje, é uma variação dos croquetes clássicos, a que acrescentei o sabor da alheira, que tanto gosto.


300g de sobras de carne cozinhada ( vitela ou novilho, de preferência )
1 alheira
5 colheres de sopa de amnteiga
5 colheres de sopa de farinha
2,5dl de leite
4 gemas
Sal e pimenta q.b.
Farinha q.b.
1 ovo
Pão ralado q.b.

Tirar a pele à alheira e desfazer o recheio para dentro de uma sertã. Levar ao lume, esmagando-a com uma colher de pau, durante cerca de 5 minutos.
Picar as sobras de carne e misturar com a alheira. Reservar.
Entretanto, num tachinho, derreter a manteiga, juntar a farinha e  mexer bem para não deixar queimar. Juntar o leite aos poucos, mexendo até engrossar. Rectificar temperos e retirar do lume. Acrescentar as gemas batidas e as carnes . Mexer e deixar arrefecer o preparado no frigorífico.
Quando estiver frio, passar as mãos por farinha e moldar croquetes ou bolinhas. Passar pelo ovo batido e por pão ralado e fritar em óleo bem quente. Colocar em papel de cozinha para absorver o excesso de gordura.

Lançamento do Livro em Lisboa

No dia 15 de Novembro, pelas 16h, farei a apresentação do meu livro, na Livraria Ler Devagar, no LX Factory.
A entrada é livre e gostava de ter casa cheia. Apareçam para provar algumas das receitas do livro e me darem um beijinho.

Lançamento do Livro - Matosinhos

Caríssimos amigos, é ja no dia 8 de Novembro, que farei o lançamento do meu livro, pelas 16h, no Armazém 810. Gostava de contar convosco. Se quiserem ir, só tem que confirmar, por favor. 
Adorava ter toda a gente comigo, para partilharem esse momento tão especial comigo.

Mousse de rosas

No ano passado, em Paris, comprei um livro chamado La Durée Sucrée. É, provavelmente, o livro de receitas de pastelaria mais bonito que já vi. Tem fotografias maravilhosas, que nos transportam para um universo paralelo e delicado, tipo o lanche da Alice no País das Maravilhas.
Esse livro tem uma receita que me pôs os olhos em bico, que é de um creme de rosas. A foto fez-me desejar fazer aquela receita e provar um sabor que eu adivinhava surpreendente e delicada. E, dito e feito, lancei-me na odisseia dos " Petit Pots de creme à la Rose".
Mandei vir pela net os ingredientes que me faltava: xarope de rosas, aroma de rosas e água que, como não podia deixar de ser, era de rosas.
Depois de uma longa espera, e alguns euros mais pobres, vi-me na posse dos ingredientes. Eis, então, que começa a aventura. Fiz tudo direitinho e, no final, SURPRESA! Ficou horrível, líquido, e doce, doce, doce.
Então, e para não desperdiçar os xaropes e águas resolvi inventar uma receita que eu soubesse que funcionava e aqui está o resultado. Eu gosto muito mas convém que esteja bem fresquinho.

2 pacotes de natas frescas
250g de queijo Mascarpone
6 colheres de sopa de açúcar
3 colheres de sopa de água de rosas ( se vir que precisa de mais, pode acrescentar, colher a colher )
4 gotas de extracto de rosas
1 gota de corante alimentar rosa

Bater as natas com o queijo e o açúcar até estar uma mistura bem forte. Acrescentar os restantes ingredientes e verificar sabor e cor. Se quiser adicionar mais, faça-o muito devagar porque os sabores são muito concentrados.
Meter num saco de pasteleiro e encher taças. Decorar a gosto

Pode substituir os ingredientes de rosa por licor de menta e corante verde.

Bolo de canela

Aqui está um bolo simples mas delicioso para estes dias de Outono que se começam a dar a conhecer.
Nada como uma fatia bem perfumada com um chá para os fins de tarde. Espero que gostem.


Ingredientes:

4 ovos
300g de açúcar
2dl de leite
250g de farinha com fermento
2 colheres de sopa de canela em pó

Aquecer o forno a 175º
Começar por bater as gemas com o açúcar até ficar um creme esbranquiçado. Entretanto, bater as claras em castelo e juntar-lhe o creme das gemas, continuando a bater em velocidade baixa.
Misturar a farinha com a canela. Aquecer o leite.
Misturar, intercalando, a farinha com a canela e o leite quente, até estar bem envolvido.
Untar uma forma de buraco e polvilhar com farinha. Deitar a massa na forma e levar ao forno até estar cozido ( fazer o teste com um palito ). Desenformar e polvilhar com açúcar em pó.

Bolo calda de Laranja - Receita de Vera Ramos


Bolo Calda de Laranja
Ingredientes
Para a calda
2 copos de sumo de laranja
1 copo e meio de açúcar
1 colher (sopa) de margarina

Para a massa
150g de margarina sem sal
2 ovos
1 copo de açúcar
1 copo de sumo de laranja
3 copos de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento 


1 - Comece pela calda, colocando os ingredientes numa panela e misture tudo. Leve ao fogo até levantar fervura, baixe o fogo e deixe cozinhar por uns 5 minutos.
2 - Enquanto ferve a calda, prepare a massa. Bata na batedeira a margarina, o açúcar e os ovos. Bata bem até formar um creme branco.
3 - Peneire a farinha de trigo com o fermento e misture, fora da batedeira, ao creme branco, aos poucos. Uma colher por vez. Misture sempre e acrescente também, aos poucos, o suco de laranja. Vai obter uma massa uniforme e lisa, bem cremosa.
4 - Unte com a margarina uma forma que tenha buraco. Deite a massa na forma e acrescente a calda, pode ser ainda quente, por cima.
5 - Leve o bolo calda de laranja para o forno de 160 graus, forno brando e preaquecido, cerca de 1 hora. Espere que fique morno para desenformar. O bolo fica macio e a calda de laranja muito saborosa. O efeito é fantástico.


Bochechas de porco em vinho tinto

De alguns anos a esta parte, começou a falar-se de receitas com bochechas de porco ( e de vitela ), uma parte do animal que eu desconhecia que fosse comestível. Comi, pela primeira vez em casa de uma amiga e achei delicioso.
No Domingo foi o prato que escolhi para a a minha festa de anos e comprovei que é uma carne tenríssima e saborosa.
Hoje, resolvi experimentar fazer. Fui ao talho e pedi, com medo que nem soubessem o que era. Claro que sabiam e arranjaram-me um saco que trouxe para casa.
Comecei por limpar os pedaços das gorduras maiores e parti-os, de forma a ficarem mais uniformes.~
Pus numa taça, temperei com sal, pimenta preta, alho picado, umas folhas de louro e cobri com vinho tinto de boa qualidade. Deixei a marinar meia hora.
Entretanto, fiz um estrugido com 1 cebola e azeite e, assim que a cebola começou a ganhar cor, deitei uma lata pequenina de tomate em cubos e deixei refogar em lume brando, uns 20 minutos.
Ao fim deste tempo, introduzi as bochechas, despejei a marinada e, mal começou a ferver tapei o tacho. Deixei cozinhar em lume médio cerca de 1 hora, que foi quando vi que as bochechas estavam tenras.
A meio da cozedura acrescentei mais alguma água para não agarrar ao fundo. 
Acompanhei com talharim e ficou divino.